Lançamento do Folheto de Recomendações Políticas do GreenerAge

Outro resultado desenvolvido pelo GreenerAge é o nosso folheto sobre recomendações políticas. Este contém sugestões baseadas em investigação documental e em 15 entrevistas com decisores/as políticos/as, intervenientes em associações ambientais e ativistas, conduzidas nos nossos cinco países parceiros. Este folheto pretende informar stakeholders e decisores/as políticos/as, de modo a repensarem políticas sobre alterações climáticas. O GreenerAge centra-se no valioso contributo e papel de pessoas com mais de 55 anos, que podem ajudar no alcance de um planeta mais verde. O GreenerAge considera, assim, as suas qualidades e cidadania ativa durante o desenvolvimento de novas políticas legais e governamentais.

O projeto GreenerAge foca as suas recomendações em cinco áreas temáticas sustentáveis, nomeadamente mobilidade sustentável, consumo sustentável de água, reciclagem, energia sustentável e alimentação sustentável.

O que pode encontrar neste folheto? Para cada um dos tópicos de literacia sustentável e alterações climáticas, identificámos várias boas práticas que podem ser implementadas. Estas foram identificadas a nível local, regional, nacional e europeu.

Por exemplo, o que podemos implementar para uma maior sustentabilidade no que respeita à mobilidade de cidadãos e cidadãs? Algumas sugestões incidem sobre a promoção de modos de transporte mais sustentáveis e alternativas à utilização de um veículo privado, como o desenvolvimento de ciclovias e a partilha de automóveis. Mas como envolver pessoas adultas mais velhas neste processo? Recomendamos que se promova a sua utilização de uma forma abrangente e acessível para que os seus benefícios possam ser devidamente compreendidos.

Ao implementar estas recomendações políticas e práticas, há que considerar a participação e características de cidadãos e cidadãs com mais de 55 anos. Esta faixa da população pode oferecer as suas experiências de vida valiosas e possuir motivações únicas para alterar comportamentos, nomeadamente o facto de ter netos/as, que podem influenciá-los/as a querer viver num planeta mais verde. Há aspetos específicos que podem ser ajustados e considerados para atingir este propósito! O primeiro passo é conhecer o grupo-alvo e os seus interesses, para encontrar formas eficazes de os envolver, tendo em conta o objetivo da política.

Para atingir com êxito este público-alvo, é apresentado um estudo sobre cidades acessíveis para pessoas adultas mais velhas em Haia, nos Países Baixos, realizado por um grupo de investigação da Universidade de Ciências Aplicadas de Haia (THUAS). Este estudo categorizou adultos/as mais velhos/as em grupos, com base nas suas crenças ambientais, estatuto financeiro, comportamentos orientados para o ambiente e comportamentos motivados por ganhos financeiros. Para cada grupo é apresentado de que forma as pessoas mais velhas podem beneficiar de determinadas políticas. Desta forma, recomenda-se a divulgação de determinadas informações e medidas para aumentar o seu envolvimento.

Pode saber mais sobre as nossas recomendações políticas aqui.